Bem-vindo!

Quando. Eu sou o meu cargo, nada mais sou.

Quando a única identidade que se tem de si mesmo se torna a posição profissional; tudo mais corre o risco de perder o valor.

Muitas vezes o ritmo das solicitações da vida profissional – que não são poucas –, sequestra completamente o foco e a atenção do líder, levando-o a um carrossel mental e emocional sem fim.

A posição diante do cargo pode criar uma forte identidade – ego profissional – dando a este profissional certa auto-importância e também lhe dá importância coletiva, tornando a única identidade que se tem de si mesmo.

Infelizmente, muitos profissionais se auto-hipnotizam e se perdem por auto identificação com o poder e até se viciam com o stress, ficam míopes e até cegos na busca do sucesso, e se esquecem de que a carreira, apesar de ser importante e que deve ser desenvolvida por ele mesmo, é mais um papel que tem que cuidar com tudo mais de sua vida.

O ser humano possuí vários papéis no curso de sua breve existência: filho/a, companheiro/a, pai/mãe, amigo/a, profissional…,  cuidar apenas do papel profissional coloca a pessoa – ser humano – em sério risco de colapsar-se caso este efêmero papel apresente qualquer dificuldade no percurso de sua vida.

O tempo passa para todos, na melhor das hipóteses, quando se aposentar esta identidade profissional vai desaparecer e poderemos ter um momento de dificuldade existencial presente – consciente ou não. Mas, muitos vão passar pela perda desta identidade – mesmo que momentânea – antes do final da carreira, goste ou não. E para alguns poucos abençoados, será uma benção disfarçada de tragédia.

Ninguém é detentor do controle dos diversos vetores que regem a vida. E colocar toda a existência pessoal apenas na carreira, é realmente algo delicado.

E ainda mais, o que enriquece as nossas vidas, o que ilumina o nosso dia, é atender da melhor forma possível a todas as solicitações que a vida nos apresentar – prazerosas ou desafiadoras – e sempre com dignidade. Os diversos papéis, bem ou mal, nos tornam humanos e simultaneamente cúmplices com o Divino.

Ao chegar a sua casa, olhe para a sua família e inicie o turno de ser pai, mãe, filho, filha, irmão, irmã, neto, neta… Encontre os amigos, esteja disponível a viver a todos os papéis que a vida lhe apresentar.

A Atenção ao Momento Presente – Mindfulness Advaita Sesha possibilita o aprimoramento de cada momento nos diversos papeis em nosso breve existir.

Eloi Campos

Representante da AFVAS (Associação Filosófica Vedanta Advaita) no Brasil

Profissionais comprometidos com o aprimoramento humano em todos os níveis de relacionamentos: intrapessoal e interpessoal – Somos associados a: Associação Filosófica Vedanta Advaita Sesha.

Últimos artigos:

Depoimentos de clientes:

“... trouxe duas coisas centrais para minha vida: saber que não sou a minha história, e conscientizar-me de que geralmente não estou percebendo os fatos que estão acontecendo e sim percebendo a minha versão e opinião sobre eles. Minha mente se tranquilizou, e minha habitual forma de questionar e opinar estão mudando para um estado mais presente, receptivo e tranquilo”.

José Carlos Ermoso, Coach e Consultor de Empresas – Engenheiro

“Muitas coisas já melhoraram em minha vida desde que comecei. Estou mais atenta aos meus atos e pensamentos, sei quando me engano e procuro melhorar”.

Maria Regina M. Oliveira, Secretária

“O trabalho realizado tem resultados concretos: a auto-observação me leva a uma maior consciência de mim mesmo, o que permite mudar coisas que não são efetivas (e que não seriam mudadas se eu não as tivesse visto). De forma geral, estou mais centrado e disponível para atender ao que me é solicitado, dando uma perspectiva muito realista e prática para a meditação.”

Diego Pisano, Coach e Facilitador

“... está sendo um diamante para mim, me fez melhorar meu lado profissional e pessoal. Fez-me ter uma visão abrangente das situações e com isso solucionar as situações desfavoráveis ao meu favor.”

Marcio Gracino, Diretor – Bandeirantes Logística Integrada

Como resultado do trabalho de Mindfulness Advaita, pude desenvolver o autoconhecimento, autocontrole e maior reflexão diante da vida. O relacionamento com minha família, que era um inferno no começo, tornaram-se muito harmônico e estou muito mais disponível para minha esposa e filhos. Também reatei o relacionamento com meus pais e irmãos, dos quais tinha me afastado. Hoje fico feliz com situações simples, como um passeio no campo ou o sol batendo na minha face, a minha mente, o pensar já não é caótico, estou atento ao que se passa ao meu redor e também internamente.

João Antônio Martins, proprietário de “Da Pá Virada Gelateria”

Esse trabalho me ajudou a ser uma pessoa mais tranquila, menos ansiosa. Observar e estar mais atenta às reais necessidades do momento presente têm me tornado uma professora mais eficiente na comunicação com meus alunos, na qualidade das minhas aulas e mais produtiva nas relações com parceiros profissionais. Minhas atitudes com o meu cuidado pessoal, com o meu casamento e com a minha família também são resultados efetivos desse processo.

Inês Barbosa, professora