Bem-vindo!

A falta de sensibilidade dos lideres nos levará a extinção

A falta de sensibilidade dos lideres nos levará a extinção.

Muitas culturas já passaram por este mundo, de algumas temos apenas as ruínas e de outras nem isto. Certamente todas tiveram o seu crescimento e apogeu, mas por não estarem mais aqui, sem dúvida também tiveram o seu declínio e extinção.

A cultura de um povo se assemelha a cultura de uma empresa, de uma família e até da própria vida do indivíduo. Onde temos o nascimento, crescimento, decaimento e morte.

Será que o declínio pode ser evitado? Não se é possível afirmar que sim ou não (é claro que a morte não), mas podemos identificar se o nosso comportamento – pensamentos, sentimentos e ações de hoje – estão alinhados na busca de possibilidades que encontram inovações para preservar e cuidar da Vida, ou apenas são ações que almejam simplesmente os resultados pessoais (qualquer resultado que apresente apenas lucro) acima de tudo.

O pragmatismo imediatista da individualidade – onde a individualidade por si só, apenas é o egoísmo exacerbado e camuflado – busca apenas imediatos resultados pessoais. O comum é encontrarmos ações através de decisões incoerentes a Vida; semelhante a um míope correndo no escuro na beira do abismo. A pessoa nesta indiferença pragmática e cognitiva – insensibilidade humana,  muito se esquece das possíveis consequências imediatas ou futuras de suas ações. Assim, muitas vezes, por economia – burra e ignorante – pouco se está atento ao sofrimento que se causa ou pode vir a causar devido as decisões, omissões e as ações inconsequentes.

A insensibilidade em nossas habituais reuniões – profissionais ou familiares -, ditas sérias e inteligentes, muito tempo e energia se perde com a única ou maior preocupação que é com o próprio interesse (umbigo), que sempre é travestido por justificativas superficiais.

No caso do líder, este tem as suas justas mordomias e junto a elas as suas enormes responsabilidades. O líder oferece muito lucro à empresa, mais do que ele imagina. No entanto é o líder, também, o maior responsável pelas consequências de suas ações, e simultaneamente,  também pelas ações da empresa. Um líder não pode ser insensível ao seu meio e as consequências de suas decisões.

Enquanto o ser humano for um egoísta míope, caminharemos em uma sociedade que pouco se sensibiliza com o próximo, com o social e com a natureza.

E esta ausência de sensibilidade nada mais é do que a cegueira da pessoa para com ela mesma, ela não percebe devido a sua própria ignorância – egoísmo -, pois lhe falta a expressão da Consciência na mente e no coração – que é parte ativa e envolvida diretamente através de seu importante papel em seu entorno – mundo. O insensível, impõe a si mesmo a cegueira – zona de conforto –  que não lhe permite identificar a consequência de seus atos, assim desfila, cego de forma imediata, e também, confortável na omissa cegueira projetada ao resultado futuro.

Indiferente a comunidade que por cumplicidade ou por omissão destruímos hoje, vamos gerando o mundo onde os nossos filhos e netos irão viver hoje e no futuro. Pobre pequeno faraó que muitos imaginam ser!

Sensibilizar-se significa ter a capacidade de ter uma auto-gestão direcionada para a Vida e para a conscientização de que não estamos sozinhos no planeta. Ou apenas seremos (ou continuaremos a ser) a próxima raça em processo de extinção. Buscamos resultados sim, mas a que preço? Somos lideres mercadores de possibilidades de Vida ou de morte?

Não me importa o que a maioria faz, o importante para a Consciência em mim é o que faço hoje. E para você?

Medite.
Meditação Mindfulness Advaita, juntos compartilhamos responsabilidades.

Eloi Campos

admin

admin